quinta-feira, novembro 10, 2005 Margarida Lozano 8 Comments

A psicologia dos Contos de Fadas

Há pais que insistem a que as crianças tenham que pensar racionalmente como eles, pensam que é a partir daí que os tornam mais maduros... Mas nem sequer pensam que os sentimentos são fundamentais para a formação do carácter; queixam-se que só as histórias (por exemplo, os contos de fadas) trazem confusão em relação aos conceitos da realidade que devem ser ensinados às crianças. A sabedoria não é uma coisa que nasça e sim uma coisa que se constrói, começando por um “estágio” irracional que depois se desenvolve num maduro psiquismo. As crianças têm uma enorme necessidade de lidar com os sentimentos. A assimilação é muito importante para aquelas que desejem encontrar as respostas lógicas para o mistério da existência. Os contos de fadas têm a função de dar ás crianças um desenvolvimento imparcial tão completo quanto possa vir a ser o do prestigiado intelecto, através do intuito e dos sentimentos; permitem a que as crianças se identifiquem com alegrias e dificuldades dos seus heróis... Há um impacto no psiquismo devido às experiências quotidianas. Ajuda a criança a ter uma aprendizagem adequada, mais interesse e diversão. Ela “tira” das narrativas o melhor que possa aproveitar para ser aplicado no seu estado de espírito.
É por isso que as crianças pedem aos seus pais que contem novamente as histórias, para que os sentimentos sejam revividos em cada repetição delas, conforme as necessidades do momento vivido.

8 comentários: