quarta-feira, dezembro 27, 2006 Margarida Lozano 0 Comments

"Ahh e tal, não tem nada a ver..."

«Epá, viste "O Perfume"? É que eu li tanto o livro como o filme e não têm nada a ver!», «Como não tem a ver?! Desculpa lá, mas achei identico!».

É curioso a conclusão de que as opiniões diferentes a esta comparação dá-se á forma como se imagina a "vida" da história de um livro que acabamos de ler. Porque nem todos "veêm" o espaço e o tempo da mesma maneira que outros, á medida que esfolham o livro, daí é natural que aquilo que alguns possam imaginar nele seja [ou não] parecido com o filme, e haver sempre opiniões diferentes. Acho que devemos dar mais em conta a comparação entre o imaginado por nossa parte, à imagem que nos é dada através do filme.

0 comentários:

domingo, dezembro 17, 2006 Margarida Lozano 0 Comments

O nosso bom português

Cada vez o bom português anda a escapar nos nossos dedos. Falo precisamente do belo "Pitês" ou "Internetês". Isto de trocar o "s" pelo "x", etc., etc. já começa a alastrar de tal maneira que, e não tenho dúvida nenhuma, qualquer dia já ninguém sabe escrever correctamente as palavras, para além de que está sob uma ameaça para o dicionário Português. Por isso, há que deixar a preguiça de lado só porque "é mais rápido de se escrever", e tornar o português mais acessível e compreensível.

P.S.- Fica já o aviso do porquê de não responder a SMS.

0 comentários:

terça-feira, setembro 19, 2006 Margarida Lozano 0 Comments

[Não merece ter tópico sequer]

Realmente uma gaja chega aos seus 20 e tal anos para assistir certas atitudes animalescas do sexo feminino que fazem questão de apresentarem... Por mim metia-las num zoo qualquer, porque cá para mim a comunicação delas teria mais sucesso. Estou ciente que o salazarismo acabou, daí, democracia serve para alguma coisa. Então, e porque não chamar mentirosas aquelas que realmente nos mentem? E porque não dizer as outras o que realmente pensamos sobre as suas atitudes que tomam para nos stressar? Direito temos, mas pelos vistos temos que passar por um após-tratamento em nos "passar a ferro" ou levar com monte de dreads e carochos só para terem costas quentes. Estão a imaginar? É algo do género: eu vou falar, mas quando chegar a tua vez estás fo****! Tão boa esta democracia! São tão justas pah! ^^

0 comentários:

sábado, setembro 02, 2006 Margarida Lozano 1 Comments

Pois é... O Colgate dá que pensar:

Porque é que as riscas da pasta de dentes vêm sempre direitinhas?

Pois é...

1 comentários:

segunda-feira, julho 31, 2006 Margarida Lozano 1 Comments

Reparem como os pais destes miúdos são os próprios assassinos deles...



Sem segurança alguma (vejam no topo)...

Miúdos com 8/9 anos.

"Ai... Se eles caírem sempre batem nas cordas, não há problema nenhum!"

Claro, até porque as cordas são molzitas e não têm probabilidades de tocarem no chão... Claro...

1 comentários:

sábado, julho 15, 2006 Margarida Lozano 2 Comments

A sensibilidade de alguns jornalistas:

- A nossa única testemunha morreu!
- O quê?? Estamos lixados!

2 comentários:

segunda-feira, junho 12, 2006 Margarida Lozano 1 Comments

As pessoas são tão imaginativas...

que até na cura para a homossexualidade já falam.

1 comentários:

quinta-feira, maio 25, 2006 Margarida Lozano 0 Comments

"Acompanhe o CowParade Lisboa 2006 e conheça as últimas notícias sobre o evento que vai marcar 2006." (http://cowparadelisboa.sapo.pt/)


Vai marcar 2006?? Já está a marcar(!), desde o primeiro dia em que começa uma espalhafatosa série de vacas espalhadas por Lisboa! Aquilo sobe à cabeça - até tive o prazer de "comunicar" com uma.

Lisboa já não é o que era... ou seja, tudo menos uma cidade...!

0 comentários:

quarta-feira, maio 24, 2006 Margarida Lozano 1 Comments

Porque raio tenho eu de aguentar isto?!

Lembram-se da série "Era uma vez... a Ciência/Corpo humano/o homem", com aquela personagem de barbas longas e brancas de nome Mestre? Lembro-me de ver sempre esses desenhos animados educativos em cassetes no tempo em que olhava para aquilo e chateava o meu velho de querer ter uma viatura como aquela que usavam para combater as bactérias. Continuando...

Um pai de um menino de provavelmente 9 anos, saiu-se com esta:

- Sabe, hoje o meu filho perguntou-me o que era pedofilia... Por acaso não me sabe dizer se na colecção "Era uma vez..." vem pedofilia, não?

Eu cá para mim: Está tramado, meu caro amigo...

1 comentários:

quarta-feira, maio 17, 2006 Margarida Lozano 3 Comments

"Ahhh... 'Tá fofo!"

Cada vez que ligo para um certo número de telemóvel aparece a seguinte gravação:

"Oi, está a falar com o líder da máfia. Não posso atender mas vou atender, isto é se não morrer primeiro."

Acho que sim, que vou meter uma destas gravações no meu telemóvel dirigidas a pessoas indesejadas, para saberem com quem estão a lidar; meter respeito... Assim não preciso de comprar pitt-bulls, como certas pessoas. Oooh come on... Ahahah.

3 comentários:

quarta-feira, maio 03, 2006 Margarida Lozano 0 Comments

No trabalho:

- Então rapariga, estás a gostar do teu trabalho? - perguntei eu.
- Estou na lista dos favoritos é claro que tenho que lá estar! - com um tom de arrogância.
- Pois... Não me lembro de te ter perguntado se és a melhor trabalhadora, até porque isso não me interessa de facto. Só te perguntei se estás a gostar.

manias, manias...

0 comentários:

quinta-feira, abril 27, 2006 Margarida Lozano 6 Comments

Pois... A imaginação é uma das coisas que não tem preço

Contaram-me que muitas mulheres ao visitarem algum familiar/amigo recluso, eram apanhadas por terem telemóveis nas suas partes íntimas. Eu apenas pergunto se por acaso as malas estarão assim tão caras... Não, assim só por acaso...

6 comentários:

quarta-feira, abril 12, 2006 Margarida Lozano 0 Comments

P&%"# Hil$"&

Digam-me por favor, que eu não li bem isto. Prefiro que me digam que sou a grande burra em relação à língua inglesa. A sério, não me importo! Desde que não seja nada daquilo que li!

Eu prefiro não resumir essa mulher numa só palavra!

0 comentários:

segunda-feira, abril 10, 2006 Margarida Lozano 6 Comments

Curtas da vida

- Desculpa, tu bates em raparigas?
- Bato se for preciso!
- Estás a gozar não estás?
- Temos que impor respeito, e é assim que deve ser!
- Desculpa?
- Qual é a cena? Vocês não pediram igualdade de direitos?
- (depois de um estalo bem dado) Ora repete lá o que disseste? - disse eu.
- ...
- Bem me parecia (pausa) Cobarde.

Acho que alguns homens ainda não percebem o conceito de respeito e cavalheirismo. Foi-nos consebida a igualdade de direitos mas não o direito de sermos tratadas que nem lixo.

6 comentários:

sexta-feira, abril 07, 2006 Margarida Lozano 2 Comments

O cúmulo
Ás vezes fico extremamente assustada com certos comportamentos que vejo; digo assustada porque sendo eu mulher, não me quero tornar como certas pessoas que eu conheço (e que vou referir mais adiante)... Não sei se está no nosso gene, mas já vejo "coisas" destas a cruzar na minha vida constantemente. Todos sabem que a mulher fascina-se por um par de sapatos, uma roupa elegante, etc., etc.; conhecida pelo homem como a gastadora de trapos. Metem as mãos na cabeça e agarram-se fortemente aos seus cartões de multibanco cada vez que as suas mulheres entram numa loja de roupa. Sinceramente, há uns que gostam de dramatizar... Até porque maioria delas sabe que o maior problema, e o mais queixoso vindo de todas as bocas, é o financeiro. Continuando...
O cúmulo, cúmulo, e um dos mais reles cúmulo da estupidez, trata-se da minha colega: quase que grita bem nos meus ouvidos que está desesperada porque a sua conta está a zero - até mesmo em saldo negativo -, e que não pode fazer isto e aquilo porque não pode gastar dinheiro, e que lhe vai dar o badagaio, e que «POR AMOR DA SANTA!!!» isto não pode estar a acontecer com ela (palavras dela)... Ora, problemas financeiros é o que todos têm e que fazem os possiveis para que nada falte. Ela é basicamente o contrário: compra as coisas (caríssimas!) e só depois de as ter é que me diz que não gosta, vai até à Quebramar - a loja de roupa que nos leva á falência - porque diz que «é única, a loja 'dela', não vai a mais nenhuma e pronto»; vai ao cabeleireiro mais longe que 'sei lá o quê' porque - lá está a mania (o seu gene a falar mais alto) - é o melhor, o mais fino e o conceituado e que não pode ir a mais nenhum, etc., etc..
Resumindo e concluíndo: Tudo isto não passa de manias de alguém que se mete em merdas e não sabe gastar o dinheiro como deve de ser, não tem controlo e não quer responsabilizar-se... Chegando ao final do dia (QUASE todos os dias) a queixar-se da falta de dinheiro na sua conta.

2 comentários:

quinta-feira, abril 06, 2006 Margarida Lozano 2 Comments

O encalhado

Eram 4h.30 da matina, e recebo um telefonema:

- Estou?
- Sim?
- Estou sim?
- Sim...?
- É a Margarida?
- Sim....?
- Eh... A que dá aulas?
- Sim.
- Eh... Olha, é o interessado!
- Vá-se lixar! (risos)
- ...

Como é que um gajo consegue trocar umas boas horas de sono a um telefonema reles? Ahahah

2 comentários:

domingo, abril 02, 2006 Margarida Lozano 0 Comments

Quem é que...

Em seu perfeito juizo, vai à esquadra apresentar queixa de que lhe roubaram a sua bolsa de marijuana?

(Acho que não é necessário revelar o país.)

0 comentários:

sábado, abril 01, 2006 Margarida Lozano 4 Comments

Um dia tinha que ser...

Pois é, terei que encerrar o meu blog... um dia tinha que acontecer não é? Não porque estou a detestar escrever aqui; mas por motivo de saúde muito grave, terei mesmo que acabar... Como é que uma pessoa há-de ter cabeça para blogs e coisas assim? Obrigada pelas visitas. Foi um prazer enorme. Adeus.

1 de Abril, tenham um bom dia com mentiras! :p

4 comentários:

sexta-feira, março 31, 2006 Margarida Lozano 0 Comments

E pronto

... É engraçado ser-se despromovido(a). A sério, experimentem! É uma sensação tããão boa!

0 comentários:

sábado, março 18, 2006 Margarida Lozano 7 Comments

É ironico

... O governo querer fazer campanhas para diminuirem o consumo da coisa que - para além de fazer mal à saúde - mais o "enche" de dinheiro: o tabaco.

7 comentários:

sexta-feira, março 10, 2006 Margarida Lozano 2 Comments

Questão: Apesar da taxa de desemprego ser alta, valerá a pena o canudo?

O questionário situa-se no lado direito do blog. Aqui deverão dar a vossa opinião (principalmente se afirmaram apenas SIM/NÃO -
"Qual?"). Obrigado. :)

2 comentários:

quarta-feira, março 01, 2006 Margarida Lozano 6 Comments

«Uma dose de "droga", uma grama de esperança»

Fui muitas vezes, numa busca de emprego, confrontada com a principal dificuldade de me exigirem pelo menos alguma experiência num determinado emprego (ex. lojista, empregada de balcão, etc..). Pelo menos em todos os lugares que contactei pessoalmente me faziam essa exigência. Agora pergunto, como posso ter essa experiência que "necessitam" se não me dão a oportunidade de a ter?

Reparem, estas situações até aparecem á porta de quem é licenciado.

E se me perguntarem quem é a pessoa que tem mais probabilidade de entrar num determinado emprego, entre aquela que só tem o 12º ano feito e aquela que é licenciada direi que é a primeira. E tudo isto, muitas vezes, uma questão de dinheiro. Maioria dos empregadores não prefere o licenciado uma vez que terão de lhe pagar mais do que aquele que tenha até o 12º ano feito. Como duvidar, se eles próprios não conseguem desmentir...!

6 comentários:

quarta-feira, fevereiro 22, 2006 Margarida Lozano 3 Comments

"A Arqueologia é a busca de factos, não da realidade. Se é a realidade que procuram, a aula de Filosofia é já ao fundo do corredor." (Indiana Jones - A última cruzada)

3 comentários:

quarta-feira, fevereiro 15, 2006 Margarida Lozano 15 Comments

Sensação irracional

Suponhamos que uma pessoa introvertida entra num local público qualquer e alguns instantes depois um grupo de pessoas ri-se de uma piada contada. Muito provavel é que aquela pessoa fique com a sensação de que estão a rir-se para ela. Que acontece? O estado incómodo leva a que a pessoa evite os lugares públicos. Talvez fosse mais sensato a pessoa tentar perceber o porquê da risota antes de pensar deixar de frequentar os locais. Bastava apenas isso.
«Grande parte dos problemas se resolveriam se fossemos capazes de desmontar as nossas crenças irracionais e desenvolver comportamentos mais ajustados», de acordo com a Psicoterapia.

15 comentários:

quarta-feira, fevereiro 15, 2006 Margarida Lozano 4 Comments

Feto in feto

Soube de algo que nunca pensei que pudesse ser possível: Um feto que se desenvolvia dentro de uma criança.
O estudo indica que se tratava de gémeos; o feto "cobriu" outro feto que mais tarde se veio a desenvolver dentro dele (feto in feto).
O feto se desenvolveu como todos outros fetos: tinha pernas, braços, pulmões, rins, coração... com a única diferença de que ele não apresentava cérebro.
Fico a pensar se isto serve como limite ás capacidades da natureza...

"In National Geographic Channel"

4 comentários:

quinta-feira, fevereiro 09, 2006 Margarida Lozano 11 Comments

Quantas e quantas vezes [nos] senti[mos] assim:

- Eu sou hoje tudo aquilo que um dia desejei ser. O problema é que... Gostava de ser aquilo que era quando quis ser o que sou hoje.

11 comentários:

quarta-feira, fevereiro 01, 2006 Margarida Lozano 6 Comments

Tourada

"A tauromaquia é um espectáculo baseado na tortura e matança de animais em público, o que traumatiza crianças e adultos sensíveis, assim como desnaturaliza a relação entre o homem e o animal" - UNESCO
É de lamentar que muitos aplaudem este tipo de espectáculo, e justificam-se que trata-se de uma arte, cultura. Chamam arte á agressividade com que tratam os animais? Já agora, 1000 chicotadas nas costas de um homem é arte!
Acho incrivelmente estúpido aplaudirem toureiros que nada de valentia mostram de facto. Antes de iniciarem a "cena":


  • São dados aos touros laxantes e tranquilizantes;


  • Põem-lhes nos olhos vaselina para terem menor capacidade de visão, para não falar de que metem-lhes algodão ou outro objecto para dificultar a respiração;


  • Fazem cortes nas patas que depois são embebidos com amoníaco que lhes deve doer p'ra caraças;


  • Exercem violência na zona dos rins e testículos, entre outras zonas.
Maioria dos touros já se encontram, antes de entrarem em espectáculo, com doenças tais como tumores, tuberculoses, hepatite.
Agora, que raio acto de valentia é que o toureiro tem quando se encontra com a "cena" facilitada no momento em que entra em campo?
Que grande valentia! Que grande público que diz ser-se civilizado!
E se fosse só os touros... Os cavalos nem escapam a golpes, hematomas, etc., que são disfarçados pelas "fatiotas", para além de cortarem as suas cordas vocais para que o público "civilizado" não os ouvisse a "guinchar".
Épah que arte!

6 comentários:

sexta-feira, janeiro 20, 2006 Margarida Lozano 3 Comments

Acontece o que imaginava

Desde muito nova que tenho medo de estar ao pé do risco amarelo quando espero pelo "metro"; tinha medo que alguém me empurrasse, caísse estatelada nos ferros e fosse "apanhada" pela carruagem. Para mim esta sensação era ridícula, uma vez que achava eu que ninguém seria tão mau para fazer uma coisa destas (ingenuidade). Na semana passada vim a saber que encontraram o homem que tanto procuravam, por empurrar as pessoas numa linha de comboios à medida que estes se aproximavam; fez matar várias pessoas.
Pergunto o que se passará na cabeça daquele homem para fazer uma coisa daquelas. Não basta dizer que é doente. Gostava de perceber o que vai naquela mente. Será puro prazer? Ninguém sabe.

3 comentários:

terça-feira, janeiro 17, 2006 Margarida Lozano 12 Comments

Num momento de reflexão á minha vida...

Apercebi-me que a maioria dos meus objectivos só poderão realizar-se com dinheiro. Quase tudo á minha volta implica dinheiro, o que me aborrece saber que está por cima de algum dos nossos sonhos.

Então imaginei um mundo onde não existia dinheiro:

Imaginei “N” situações realizadas e digeridas sem que o dinheiro interfira. E cheguei a uma conclusão: O facto de existir um mundo destes não seria a solução dos “problemas”. Tanto fiz acabar com os problemas, como apareceram mais outros.

Cheguei ao ponto de pegar no mundo que imaginei e compará-lo a uma reciclagem (Aparentemente, é confuso uma vez que nada tem a ver uma coisa com outra.):
Nada pode interferir a que, por exemplo, o papel seja reciclado, excepto uma coisa - a mesma que faz com que o mundo utópico não se diferencie do mundo em que vivemos, tendo em conta que nada mudei a não ser “desviar” o dinheiro. E a razão é a atitude do homem.

(A reciclagem só é realizada devido a uma preocupação em separá-la (atitude positiva), tal como o mundo que imaginei só é realizado se houver uma atitude (+), onde não há espaço para ganância nem inveja... Por parte do homem.)
A questão é: será, realmente, o dinheiro O problema?

12 comentários:

sexta-feira, janeiro 06, 2006 Margarida Lozano 4 Comments

Ontem comemorou-se o 2º Aniversário do Leves & Ausentes.

Muito Obrigada pelas 10.000 visitas.

4 comentários:

quarta-feira, janeiro 04, 2006 Margarida Lozano 2 Comments

O ano 2006 começou...

E ainda não dei de conta com a "vida nova"... Mas não me posso queixar, dei as melhores (bem) vindas a este ano; e como quero entrar ainda com mais juizo, vou estar com os neurónios bem "pegados" nos livros, de maneira que este blog por enquanto vai "andar" para trás.

E como não poderia deixar de dizer:

BOM ANO!

2 comentários: