sexta-feira, janeiro 20, 2006 Margarida Lozano 3 Comments

Acontece o que imaginava

Desde muito nova que tenho medo de estar ao pé do risco amarelo quando espero pelo "metro"; tinha medo que alguém me empurrasse, caísse estatelada nos ferros e fosse "apanhada" pela carruagem. Para mim esta sensação era ridícula, uma vez que achava eu que ninguém seria tão mau para fazer uma coisa destas (ingenuidade). Na semana passada vim a saber que encontraram o homem que tanto procuravam, por empurrar as pessoas numa linha de comboios à medida que estes se aproximavam; fez matar várias pessoas.
Pergunto o que se passará na cabeça daquele homem para fazer uma coisa daquelas. Não basta dizer que é doente. Gostava de perceber o que vai naquela mente. Será puro prazer? Ninguém sabe.

Podes Também Gostar De...

3 comentários:

João Vieira disse...

É muito complicado. Pode ser prazer, nunca se sabe. Por exemplo temos os pirmonaiacos (isto tá bem escrito? :x) que sentem prazer ao atear fogos. Só ele o saberá...

Dalman disse...

Eu também gostava de perceber!
Quando era mais nova também tinha esse medo, mas com o passar do tempo fui perdendo, afinal nunca acontecia nada do género. mas agora sempre que ando de metro fico o mais longe que posso da linha amarela até ter o metro mesmo à minha frente (precaução!nunca se sabe!)

O homem deve ter um problema muito grave (doença quem sabe, como os sádicos, homicidas de série, pirómanos,...), ou então é doido por natureza, só gosta de fazer o mal (há pessoas assim). Não sei, mas também gostava de entender!

Filipe disse...

O que vou dizer a seguir pode estar longe de ser correcto, mas para mim faz sentido.

O nosso cerebro é constituido por ligações (neurónios) e eles são percorridos por impulsos eléctricos.

Dependendo do seu número e do modo que estão ligados entre si, assim depende os nossos pensamentos.

Ao longo da nossa vida o número e o modo como estão ligados varia. Um conhecimento novo deve traduzir-se em variações de ligações e/ ou variação de implusos eléctricos.

Um trauma deve fazer com o nosso cerebro mude mais do que aprender uma receita nova.

As pessoas que têm comportamentos estranhos, devem tê-los porque existem ligações estranhas nos seus cerebros.

E porque existem essas ligações estranhas?

Porque genéticamente o seu cerebro é diferente. Ou porque ao longo da sua vida, as suas vivencias (por exemplo traumas) fizeram com que ligações estranhas se formassem nos seus cerebros. Ou pela junção das duas coisas.

E isto poderá fazer com que uma pessoa tenha actitudes como a que a Guida disse.

Bem... aqui está o meu contributo...
se calhar fui muito vago...