segunda-feira, abril 10, 2006 Margarida Lozano 6 Comments

Curtas da vida

- Desculpa, tu bates em raparigas?
- Bato se for preciso!
- Estás a gozar não estás?
- Temos que impor respeito, e é assim que deve ser!
- Desculpa?
- Qual é a cena? Vocês não pediram igualdade de direitos?
- (depois de um estalo bem dado) Ora repete lá o que disseste? - disse eu.
- ...
- Bem me parecia (pausa) Cobarde.

Acho que alguns homens ainda não percebem o conceito de respeito e cavalheirismo. Foi-nos consebida a igualdade de direitos mas não o direito de sermos tratadas que nem lixo.

Podes Também Gostar De...

6 comentários:

João Vieira disse...

Mas ainda há quem pense assim? O.o

guida disse...

Claro João... Aliás, penso que cada vez está pior. Já ninguém respeita ninguém, cada um faz o que apetecer, quase que não há liberdade de expressão... Sim, existe, e cada vez mais. :|
Obviu que não vou estar a afirmar que são todos os homens...

João Vieira disse...

Estou sem palavras.

guida disse...

O_o Pois eu não... E nem sou pessimista.

Dalman disse...

Infelizmente também conheço gente assim!

Vá entender...

Mas já tenho discutido sobre isso entre amigos e há casos em que compreendo, como: "E se ela me bater? Não faço nada, não?"

Eu também acho que violência não, mas se a mulhar tiver tanta força como o homem (há casos assim), ele deve defender-se do mesmo modo, se não houver solução. É que embora não seja muito divulgado (até porque muitos têm muita vergonha de o dizer, existem muitos homens a apanhar das mulheres!

Por isso acho que o "cavalheirismo" não deve partir só dos homens, mas das mulheres também!!

;)

Joana (Dra-D) disse...

De la por onde der, a violencia nao leva a lado nenhum, seja fisica ou de qualquer outra forma... Se um casal nao se entende, que vao cada um para seu lado...

(Agora, a parte que eu gosto de espicaçar... o anuncio da promo da tmn zero centimos, é lindo eu nuncavi um gajo a levar tanta bofetada de gajas e a gostar...)