segunda-feira, outubro 03, 2005 Margarida Lozano 3 Comments

Quando preparavam o velório de um homem brasileiro, é que três horas depois aperceberam-se que estava a respirar.

Tenho ouvido muitas histórias (reais) como esta, como também, pessoas que são enterradas vivas sem que alguém dê conta, e fico sempre a matutar na minha cabeça este tipo de coisa e imagino-me na mesma situação que elas (e logo eu que sofro de claustrofobia). É um desespero de tal maneira que até a mim me doi só de pensar.

Situações como esta: As familias só se aperceberam do sucedido quando vêem o caixão arranhado na parte d'entro ou com o corpo virado de barriga para baixo...

Das duas uma: ou sou cremada ou vou em frente com a porcaria do caixão na condição de levar a caixa de ferramentas.

Podes Também Gostar De...

3 comentários:

Joe disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Dalman disse...

claustrofobia...autch...tb sofro dixo...mas pronto...cremada é uma boa solução! :P

João Vieira disse...

Conheço vários casos assim...