sábado, julho 30, 2011 Margarida Lozano 9 Comments

  
  
As coisas que oiço:

"É casado? Não faz mal, eu não sou ciumenta" 
   
"O casal foi morto por um ajuste de contas, 
ele meteu-se com a mulher do individuo que os matou"
    
"Querem evitar divórcios? Então não se casem!"
   
"O que está na moda são os amantes"
   
"Eu sinto que amo o meu marido, mas estou apaixonada pelo R."
  
 "Ai o marido dela tem uma amante? Faz ele muito bem!" 

"Hoje em dia temos que ser mais modernas,
um homem na casa e outro na cama!"

"A minha mulher já deu o que tinha a dar..."

     
Sem querer ferir susceptibilidades, e sabendo eu que quem passa por aqui também apoia pensamentos deste género, não deixo de opinar que cada vez mais as soluções que encontram para resolver (ou desviar) os problemas são as menos desejadas, pelo menos para mim. Algumas das pessoas que fizeram estes comentários não reparam que estão a ser hipócritas no sentido em que concordam com a traição, mas no que toca aos/as próprios/as namorados/as ou maridos/esposas não admitem que estes/as cheguem a trair. O que é isto? 
Ou imaginem: estão vocês a passar por momentos difíceis devido ao divórcio dos vossos pais, e ouvem os amigos a dizerem frases como estas em cima, precisamente os mesmos que há pouco tempo atrás vos apoiaram e disseram que o vosso pai foi estúpido em ter traído e que estas coisas não se fazem. Faz sentido, não faz? (ironia)
Cada um é livre de fazer o que quer, mas "acolhemos o que semeamos".

Noutro ponto de vista, continuo a afirmar que a forma de evitar o divórcio/traição não passa por evitar o casamento... passa por olhar para nós mesmos e perguntar onde erramos, como podemos ser melhores e o que fazer para tal. Os actos começam em nós, não no casamento. A responsabilidade é de cada indivíduo.  

E com isto apenas pretendo concluir que o amor é muito desvalorizado. Completamente!
   

P.S.- Como disse, a minha intenção não é ofender ninguém mas sim fazer compreender o meu ponto de vista.

Podes Também Gostar De...

9 comentários:

ariel disse...

concordo plenamente contigo.

AVOGI disse...

hummm no capítulo do amor cada um tem a sua opinião. é sempre complicado opinar pois podemos ir de encontro a certos pensamentos ideias que estão lá no fundo amortecidos adormecidos... é sempre bom escrever sobre o amor mas sabendo que muitos casais casam sabendo que ao primeiro sinal de desacordo divorciam-se, infelizmente é assim hoje em dia antes nao era assim casávamos para sempre.
kis :=)
BFSEMANA

...Ju... disse...

estamos de acordo. eu teria muita dificuldade em aceitar uma traiçao!

Marta disse...

Amiga, diria que é algo em vias de extinção. Se não cuidam dele desaparece. Eu ainda tenho fé porque tenho o meu nos cuidados intensivos todos os dias e não descuido um momento que seja mas temo que no dia que o perder...não volto a encontrar mais este sentimento que é o amor.

Ritinha disse...

Compreendo-te e concordo completamente contigo :D

Beijinho

Me disse...

Olá Guida, gostei do post :).
Concordo com o que escreveste a letras grandes, o amor é cada vez mais desvalorizado, hoje em dia qualquer pessoa diz amo-te sem realmente o sentir. Com isto, a palavra acaba por perder a magia que tinha e há uma desvalorização.
E em relação à contradição, ok, estão a contradizer-se e é estúpido, mas muitas vezes as pessoas dizem essas coisas da boca para fora, ou é mesmo como dizes, com os outros é perfeitamente normal, connosco já não é admissível. É o ser humano!

Bom, como diz o ditado e bem, "só quem está no convento é que sabe o que lá vai dentro!" Isto tanto para quem trai ou perdoa. Até porque das duas uma, ou a pessoa é levian@ ou há lacunas na relação. (Não querendo atirar pedras porque telhados de vidro todos temos e não sabemos o dia de amanhã...)
Por isso fico-me pelo ditado que diz tanto nas entrelinhas e que encaixa em qualquer relação...

Kiss

Susana Fonseca disse...

Posso assinar por baixo! Concordo plenamente com tudo o que disseste... beijo

guida disse...

Obrigada pelas vossas opiniões ;) É sempre bom saber o que pensam.

beijinhos