sábado, maio 22, 2010 Margarida Lozano 7 Comments

Doí, e não é pouco


Imaginem  que os vossos companheiros comecem a transformar-se pouco a pouco. Imaginem que estão com pessoas cujo vão perdendo a identidade e simplesmente não sabem com quem estão a viver... E de repente, são vitimas de agressão psicológica e física.
Como? Quando? Porquê?

Vai estando completamente fora do vosso controlo, e já não saberão o que fazer para melhorar a situação e manter-vos sãs. 
Doí, pois claro.

Hoje soube que uma familiar minha é uma dessas vítimas. 
 
    
   

Podes Também Gostar De...

7 comentários:

Bloguótico disse...

Não é fácil... mas ultrapassa-se, querendo!!

Crayon disse...

é triste amar uma pessoa e ela dps mostrar o monstro q é :S mas ela q procure ajuda...

ja agr obrigado pelo teu comenterio e sou desde já tua seguidora :D

Bjinhos

AVOGI disse...

a convivência e a permissividade leva a isso. deixou a primeira vez? logo vai ter a segunda kis :(

guida disse...

Bloguótico:
Ultrapassa-se mas deixa muitas marcas, já imaginas-te? É horrível. beijo

Crayon:
É mesmo. Felizmente ela é uma mulher de armas e anda na luta ;)
Obrigada eu por seguires o meu blog!!
beijinhos

AVOGI:
Acredito que tudo irá recompor após esta fase terrível. É difícil ter o controlo após uma situação destas.
Mas tudo irá resolver, basta a mulher crer nisso e lutar para tal!
beijinhos querida

Coelha disse...

Infelizmente existe casos porta sim, porta nao.
Realidades duras...
beijinho*

Pedro Bom disse...

Claro que isto existe... e muitas das vezes dos santinhos/as (sim, que tb existe no feminino) que menos se espera.
bj

reideespadas disse...

Já ví várias situações do genero mas também já vi muitas mulheres a desistirem de queixas e a darem novas oportunidades a maridos e namorados, mas quando uma pessoa e violenta uma vez, é violenta duas e três então quando à violência se junta o alcool como na maioria dos casos que conheco não há volta a dar.
É triste mas é a realidade que vivemos.